Ciência de dados e sua influência dentro de uma empresa.

By 12 de março de 2019Blog

Tratado até com pouco destaque na maioria das empresas, a ciência de dados ou data scientist, tem seu valor reconhecido nos dias de hoje (como prova o relatório da empresa norte-americana Gartner sobre as tendências de TI para 2019, trazendo dados sobre Analytics com IA). Com a evolução tecnológica cada vez mais presente no cotidiano profissional das empresas, o setor torna-se um dos mais vitais para o presente e o futuro da companhia, pois é ele quem analisa o rendimento da organização através de numerosas bases de dados visando a obtenção de informações que lapidada é convertida em conhecimento e/ou insights servindo de eixo primordial a tomada de decisões. Porém, se engana quem pensa que sua função se limita apenas a isso.

A curiosidade nesse ofício, além de ser um especialista analítico, é a integração a companhia com a intenção de explorar uma gama de facetas ligadas ao negócio. Com isso, o(a) cientista consegue identificar gargalos, lançando mão de métodos científico, identificando problemas e os reparando ao mesmo tempo em que analisa ou formula hipóteses. Com este apoio, é promovido a transformação do negócio criando novas oportunidades de mercado. Um conceito que ajudou no processo de crescimento da profissão foi a big data.

Até porque tal concepção ajudou na criação de múltiplas plataformas e/ou ferramentas que trouxeram o avanço do profissional de ciência de dados. A big data está anexa a um padrão teórico de grande volume de dados estruturados, e não estruturados, que são gerados a todo momento. Por isso, “caminha de mãos dadas” com um especialista em relação ao desenvolvimento e filtragem de grandes informações.

Para utilização de ferramentas de big data, é necessário um profissional capacitado para poder explorar e vislumbrar algo que nunca pensado antes, insights rápidos e preciosos. Es aí que surge a figura do cientista de dados. A profissão é bem-conceituada no mercado por se tratar de uma junção de analista de dados com o analista de negócios e estatístico. É fundamental ter conhecimento tanto para esclarecer informações em massa, analisar os algoritmos e “abrir portas” para um caminho inovador para o negócio, geralmente, utilizando bases de sistemas tais como ERP e CRM, sistema legados e bases de conhecimento que são mecanismos que auxiliam no gerenciamento de diversos setores de uma empresa.

Linguagens de programação como Python, R Julia, Scala e Java são exemplos de ferramentas utilizadas em Data Science que, juntamente com mecanismos de análise de dados como Octave, Matlab e IBM Watson Analytics e algoritmos de machine learning, permitem que um cientista de dados consiga ter um desempenho benéfico pois irá conseguir sugar o que foi coletado e formular hipóteses para responder às perguntas inerentes ao negócio. Por essa razão, é recomendável que a empresa tenha que estar por dentro de toda a estrutura que um cientista de dados necessita para executar o seu trabalho. Somando isso com o conhecimento do profissional em estatísticas, cálculos matemáticos e bancos de dados tanto para bases relacionais quanto não relacionais, que já devem “caminhar” lado a lado com o cientista, a empresa certamente terá um especialista capacitado para alavancar os negócios da firma.

Um profissional da área pode se especializar em qualquer tipo de programação para exploração e filtragem de dados, mas o essencial mesmo é ter um conhecimento de negócios e ter uma visão cooperativa fundamental para o futuro da empresa. Muitas empresas optam por um processo de outsourcing para encontrar cientistas de dado. Esse método está relacionado na contratação de uma companhia especializada em tecnologia para contratar profissionais, fazer as gestões dos processos e executar as atividades, para que o contratante apenas se preocupe com a obtenção dos resultados. O acordo entre as partes pode trazer uma maior visibilidade para ambos os lados e um custo menor para o contratante do serviço. Mas não se esqueça da grande responsabilidade.

Data Science é como se fossem o “médico” de uma empresa, ele pode identificar uma doença e lhe mostrar formas de tratá-la antes que cause algum dando, como também apresentar outros caminhos para conseguir seguir em frente.